A neverending dream

Emanuel, carioca, 19, fumante, escritor, cantor, compositor, tradutor, editor de jogos e imagens, fotógrafo, redator e desenhista, tudo da forma mais amadora e dedicada possível. Ama os animais, as cores, as flores, a beleza do mundo, e vê amor em cada respectiva partícula de ódio. Um paradoxo complexo, um enigma indecifrável, uma incógnita sem solução, uma confusão sobre duas pernas.
Recent Tweets @focsy
Posts I Like
Who I Follow

A cada ano, uma história. Sempre me parece incrível, ao final de cada conjunto de 12 meses que parecem ter passado tão rapidamente e de forma tão superficial, quantas coisas aconteceram e quantas pessoas nasceram e morreram nesse espacinho de tempo que a mim parece tão curto. A vocês, então, em forma de letras em Arial e abraços virtuais, venho através desta fazer alguns agradecimentos:

Gabriel Castellano: Desde sempre, são cinco, seis anos que a gente se fala? E nunca nos vimos pessoalmente, olha que loucura. Nunca achei que ser incluso na vida de alguém que mora tão longe (seja quanto à distância ou o acesso) fosse ser tão bom. Da delícia que é gargalhar ouvindo a sua voz, receber apaixonado os recadinhos e as fotos da Tia Re, a compartilhar segredos e desmembrar mistérios contigo por uma madrugada inteira, agradeço por permanecer e nem ao menos ameaçar sumir do meu 2013.

Tatiana Souza: Costumo dizer que nosso amor é infante. Ainda que não fôssemos mais crianças ao primeiro contato, sinto que crescemos e amadurecemos muito ao longo desses anos em que nossas mãos estiveram seguras uma na do outro. Obrigado pelas risadas, pelas musiquinhas, e por sempre me fazer esquecer alguma coisa na tua casa, só pra que eu precise voltar e voltar e voltar, e nunca deixar de aparecer. Obrigado também pela única ida à praia do ano, se não fosse por você, continuaria sem saber o que é passar três meses com sal e areia nos bolsos do short.

Marina Andrade: Minha deusa, minha rainha. 2013 foi um ano bom. Ouso dizer até que foi um dos melhores, especialmente no que diz respeito ao meu bem-estar mental e intelectual, processo massivamente influenciado pela tua força. Agradeço não só pelos quatro meses de aulas conjuntas, pela parceria no Tropicalize se, a madrugada barulhenta em Mesquita, um Baixo Méier na sexta à noite ou um primeiro contato tão divertido com Diva do Méier, dois aniversários muito bons, na Lapa ou na Boho, e por tantos outros eventos, como também pelos abraços, pelas palavras e pelo carinho, através das palavras, dos olhares e dos sorrisos, que me fazem tão feliz por ser seu amigo. Obrigado, também, pelos amores que você agrega, de Mion a Greg e Bibi, inclusive Fidel, não há quem não se apaixone.

Caroline Fernandes: Meu amor por você é proporcional à saudade que eu sinto. Não sei quão ruim isso vem a ser, mas eu vibro e fico felicíssimo por dentro toda vez que te vejo, assim como murcho e amarro a cara toda vez que você não está. Imagino que a ausência não seja proposital, mas ela doi. E é prova da tua importância. Obrigado pelos momentos deliciosos ao longo dos meses. As fotografias inspiradas, as conversas com árvores, as fugidas do Apoio, as corridinhas para a sombra, as risadas maravilhosas e intermináveis, o matar das fomes em fritura chinesa e a leveza de espírito que é tão fácil de alcançar contigo. Você me inspira.

Bruna Ferreira: Mais um dos meus tesouros adquiridos. Uma alcunha nunca foi usada de forma tão gostosa desde que você apareceu com a nossa ideia de mameluquice (ou mameluquismo? Mameluquência? Mameluquez? Mameluquício? Que seja!). Contar com a sua presença este tempo foi uma experiência riquíssima, tua alegria, nossas pautas viajadas, as risadas sem motivo, os abraços super quentes, as piadas internas, os segredos… e de quebra ainda me trouxe mais um sorriso, o xará de tantas peças presentes na minha vida, Gabriel de Góes. Vocês me alegram como casal. Obrigado, e parabéns por terem se achado, o mérito é mais do que devido.

Rolf Foster: Thanks for being there for me, one more time. I know it was not supposed to feel this vivid, but everytime I get embarassed for not being able to finish a phrase, it’s your face I see, laughing gently and being patient for my anxiety, like it had happened the last night. In certain way, I use you to feed my hunger of knowing what’s going on out there. Feel great for the affection, for you words and for your pictures, bringing to my screen your point of view of the whole planet. It’s good to be your friend, and it’s even better to even know you. One more time, thank you. And be warned that I’m here, waiting for you, with a wide-spread-warm-sticky huggie.

Maiara Chaves: Nossos encontros são cada vez mais espaçados, mas tenha certeza de que o carinho permanece e a falta continua grande, viu. Por mais agonizante que seja passar horas ao telefone imaginando a tua cara a cada risada, são pequenas coisas como essas que não me deixam morrer de saudade. Obrigado pelos segredos, pelo acompanhamento e pelo apoio, lembro de você a cada passo importante que eu dou na vida. E fico extremamente feliz em saber que você continua aqui por mim. Mais um ano entra, e o teu lugar fica aqui, mais do que reservado, pra você ocupar na hora em que bem entender.

Aos meus parceiros do primeiro semestre, àqueles que conheci, reconheci, encontrei, reencontrei e tive o prazer de dividir algum tempo juntos: Rayenne, Ana Cláudia, Iza, Iury, Edson, Fabíola, João e Raquel, obrigado pelo senso de coletividade e pelas tardes e noites de ralação, risadas, muito café e pão com mortadela na Redes. A Natashe (a doida com a minha letra tatuada) e Pedro, companheiros tropicalistas, agradeço a força no projeto da fanpage, além dos extras que me dão prazer em chamar vocês “amigos”. Até videoclipe nós fizemos, olha que loucura! Aos colegas acadêmicos que, de tão bons, me fazem sentir mal por não partilhar de mais debates, Desiree, Nany, Ingrid, Maynara, Camila, Laryza e Gabriel. Essa coisa linda e cabeluda que reapareceu repentinamente pra me matar de surpresa e me encher de saudade, Thamara Rodrigues. Àqueles que, por menor contato que eu faça, me faltam às vistas e eu sinto tanta saudade: Julianne Ribeiro, Bruna Boss, Gabriel Alves, Yasmim Silveira, Carol Venturotti, Heloíse Thompson, Cindy Barbosa, Barbara Chagas, Natasha Soares, Luiza Monteiro, Ana Carolina Centurion, Kinho Duarte, Yasmin Fonseca (minha xará de personalidade e data de nascimento ♥)

Aos que vieram pra somar e dividir, Alexandro Omena, Gustavo Schifferle, Ana Cláudia, Jéssica Ribeiro, Paula Pintor, também agradeço. Seja pelo yakissoba ao molho de risadas no almoço, um ou dois (ou vários) cigarros na entrada da faculdade, as histórias de aulas desastrosas, assaltos na Linha Amarela, descongestionantes usados de forma errônea ou os planos pra vida futura, muito obrigado. Vocês enriquecem o convívio e fazem das manhãs melhores.

Àquelas que dão tanto orgulho, formadas, formandas e formadoras, além dos agradecimentos, meus parabéns e minha admiração: Cíntia Farias, Malu Machado, Bianca Lobianco, Luiza Toré, Letícia Anjos e Thaís Vicente. As duas últimas, aliás, a quem agradeço também pelos poucos meses compartilhados em ambiente de trabalho que passaram como um filme, tão rápido e tão bom, que nem ao menos deu pra sentir o fim. Aproveito, então, aqui, e dedico um carinho especial a estes que, além de 2013, permanecem me aturando neste ano que entra: Carolina Leal, Leilane Papa, Luciana Ferreira, Rodrigo Neves, Felipe Picciani, Giselle Siqueira, Beatriz Maciel, Priscilla Amorim, Vivian Langer, Samantha Silveira, Fernanda Leme e Luiza Geraldelli. Obrigado pela oportunidade, pela boa aceitação, e por me fazerem sentir tão bem, a ponto de já ter a Dispositiva como uma segunda casa, um ponto de segurança e um orgulho imenso de trabalhar com vocês.

Falando em casa, não poderia deixar em branco a passagem de alguns professores que, de tão bons, fizeram-me ressignificar e levar em consideração, mais do que nunca, o conceito de mestre. Cássia Chafin e seu discurso freudiano, professado com tanto domínio e paixão que fez do autor alemão um dos meus preferidos; Ivo Lucchesi e toda sua paixão pela Comunicação, a sabedoria de décadas de estudo e exercício que muito lhe fazem justiça e, ainda assim, a impessoalidade e a leveza que fazem deste um dos preferidos em toda a instituição. Meu carinho e minha admiração são seus. Ariane Holzbach e sua jovialidade, trazendo à discussão acadêmica semanal sempre um assunto de interesse e de boa acepção, além da aproximação fácil e uma fala deliciosa aos ouvidos e ao cérebro. Obrigado pelas manhãs de sexta-feira, ratifico aqui que as classes de Técnica da Comunicação são mesmo a cereja do bolo no terceiro semestre.

Por fim, e não menos importante, muito obrigado, Gustavo Telles. Não deixaria de fazer pública minha gratidão pela paciência e pelo carinho. Obrigado não só por ter aparecido e ficado, como por ignorar a distância Rio-Niterói e aparecer pra fazer de uma comemoração de aniversário uma noite da qual eu fico lembrando todos os dias. Conto com você pra me ajudar a deixar de ser tão enrolado em 2014, japonês <3

Devidamente desculpado com aqueles a quem não nomeei, ou ainda aos que deveria ter falado mais, faço por meio desta votos de sucesso e muita luz. Um 2014 de felicidade, de realizações, muita sabedoria e amor pra esquentar os corações e atiçar as mentes. Que os caminhos sejam brilhantes e o ano, memorável. Amo vocês.

(via no-angelx)

(via no-angelx)

desperatemonkeys:

feliidaesabers:

veeoneeye:

If I was a female, this post would just be the best.

I can’t breathe

I’m a dude and this belongs on my tumblr haha

(via loneliestnumber)

sooyoung2013:

Sooyoung parting the red sea.

sooyoung2013:

Sooyoung parting the red sea.

(via imcravingformore)

tropicalizese:

Tropicalize se é a favor da igualdade incondicional. Sem medo, sem hipocrisia, sem pudores, sem lenço, sem documento.

(Arte sobre foto de Vania Toledo, publicada no livro Homens, de 1980.)

SEND HELP

(via ricanromeo)

(via pxp13)